quarta-feira, outubro 31, 2012

domingo, outubro 28, 2012

Mais um adeus, entre tantos outros.

28.01.2012

Garota, o que eu faria pra te fazer feliz? você tem ideia? imagino que não, já que não tem do meu amor por você; fique sabendo a partir de agora, já que antes eu não pude ou lembrei de dizer, eu faria tudo por nós, faria mais do que tudo por você, “só não queria dizer adeus, é que eu tinha tanto pra contar, eu não queria dizer”, já que eu tive chance e desperdicei eu queria pelo menos poder te ensinar a correr atrás do seus objetivos, só que agora sem mim, queria te ensinar correr atrás dos sonhos pelo mundo a fora, mas até essa chance eu não tenho mais, e aí eu fico pensando no que fazer pra ajudar, até pra me redimir, eu queria poder fazer algo grandioso por nós, e que no fim a gente olhasse o caminho todo e dissesse “enfim, valeu a pena”, mas daí você tem suas escolhas, suas decisões, e é aí que eu sigo pra direita e você pra esquerda; eu adoraria cruzar seu caminho de novo, mas la na frente, pra nesse tempo que eu for caminhar sem você eu fortalecer os planos, muda-los, me mudar, e quando eu te encontrar, eu por em prática, aliás nós, pra mim sempre vai existir o nós, nós querendo ou não, é vital. Te peço que enquanto você tiver no lado de lá, caminhe com fé, com esperança, pra então tudo dar certo, sem  medo, sem insegurança, sem  lágrimas. Lembra que você disse que precisa ter algo pra fazer? então, pega esse tempo e vai colorir, vai brincar, você ainda ta no seu tempo, seja menina, seja você, e não pense em mim, não pense em nós, deixa que eu faço isso, prometo que se for pra ser, eu vou te entregar o que você precisa, mais forte, melhor, então te cuida aí, se cuida por mim, e nesse caso se cuida por nós, e eu vou estar aqui pensando em você, menina, minha.

19.02.2012

Você pode me perdoar de novo? eu não sei o que eu disse,mas eu não pretendia machucar você,eu ouvi as palavras saírem,eu senti como se fosse morrer, dói tanto machucar você…então, você olha para mim, você não está mais gritando, você está silenciosamente magoada; eu daria qualquer coisa agora para matar aquelas palavras pra você, cada vez que digo uma coisa de que me arrependo eu choro, não quero perder você,  mas de alguma maneira eu sei que você nunca vai me deixar, porque você foi feita pra mim, de algum modo, eu farei você ver o quanto você me faz feliz…eu não posso viver essa vida sem você ao meu lado, eu preciso de você para sobreviver, então, fique comigo.. você olha nos meus olhos e eu estou gritando por dentro que eu sinto muito; e você me perdoa de novo? você é minha única amiga de verdade e eu nunca pretendi machucar você.

Resumo de mudanças em pontos finais de uma estória.

 Por motivos idiotas. Os mesmo motivos de sempre. Eram por todos os motivos juntos. Ela era a estrutura de tudo ali. Ela era quase insensível 90% das vezes, mas quando chorava, quem estivesse por perto podia se sentir como uma ilha, quase que submersa. Os olhos cheios de lágrimas. Ficar ali  podia ocasionar afogamento e morte. Saiu em disparada até a porta, abriu, virou pra trás para olhar o que deixaria novamente. Saiu. Quase que foi atropelada, o carro desviou, e a outra que ficou ali da janela do décimo segundo andar olhando, tremeu. Estava errado, confuso, tudo estava errado, mas ela não fez nada e foi se deitar.

sexta-feira, outubro 12, 2012

Permanent.

Nunca tentei fazer as coisas que eu fazia com você, sem você, porque eu sempre disse que não conseguia, simples assim, mas a verdade é que eu nunca tentei, eu só achava que não dava, era o vazio que sua ída causava, que me fazia pensar que nada iria mais pra frente, que tudo se tornaria monótono sem você por perto, mas eu me enganei, como em todas as outras vezes, em todas as suas outras ídas.
A negação é um mecanismo tão forte, que você não controla, ela te domina e te faz confundir tudo, ela põe e tira coisas da sua cabeça, a negação move todo seu corpo, e você se prende à ela, ou ela à você, que até quando você quer usa-la, não dá, porque ela se instala em todo seu sistema psicológico.
É difícil falar de negação, mas de aceitação não, eu aceitei tudo, de cabeça baixa, e aceito sua ída, aceito as novas condições, e que assim seja, permanente.